Nós mulheres…FORÇA X FRAGILIDADE

Eu não sei quanto a vocês, mas muitas vezes meus extremos me assustam…

Mulher Multi-TarefasSão frequentes as vezes em que saio de casa pela manhã, após deixar meu fígado na academia, vestida de mulher maravilha, resolvo o que tem que ser resolvido na empresa, deixo os marmanjos de queixos caídos na reunião, coordeno vários projetos em paralelo, saio distribuindo orientações para os funcionários, verifico se as minhas metas estão sendo atingidas, mas, ao chegar em casa, quando meu marido sequer nota que eu cortei o cabelo ou quando é um pouco mais áspero, me sinto a chapeuzinho vermelho perdida no bosque!!

Toda aquela segurança e energia que tive para “matar vários leões” no dia homens assistindo TVparecem ter desaparecido com o sol… E me vejo frágil, dependente do carinho e reconhecimento dele… O que recebo? Antes mesmo de eu explicar tudo que estou sentido, ele já está hipnotizado por alguma série boba ou já começou a roncar…

E aí? Depois de algumas horas rolando na cama, ao som de roncos, com muita dificuldade, caio no sono! Apenas eu vivi experiências como essa?

Tive, sim, essas experiencias, mas calma, não me separei nem desisti do meu casamento:  encontrei algumas formas de driblar essa “insensibilidade” masculina! Com o tempo e um pouco de terapia, passei a entender que eles não dão conta nem deles mesmos, quanto mais de nós!! Passei a buscar a minha individualidade e a me preocupar com ele nesses dias em que ele estava “distante”. Ao invés de cobrar atenção, passei a dar mais afeto a ele nesses dias.  Busquei outras fontes de atenção como meu maravilhoso dog, amigas, pai, irmão e etc.

Posso dizer que aprendi a lidar com essas situações e, hoje, já não fico perturbada da mesma forma…. Obviamente, surgem outros problemas, mas isso será assunto para os próximos posts.

Gata, tamos juntas.

Juju Gaspar