Projeto Verão para Mulheres Reais Parte 2

Na semana passada, compartilhei com Vocês a importância de estabelecer metas para seu shape, usando a sua genética e seu biotipo a seu favor, ao invés de querer transformá-lo na marra. Neste post, queria dividir com Vocês uma outra característica que importei do universo da administração para a gestão de meu corpo.

Em minha experiência como empresária, sou obrigada a analisar todas as situações de uma forma muito realista. Nos negócios, não há espaço para pessoas ingênuas, que vivem no mundo da fantasia. Uma avaliação de cenário exagerada ou subestimada pode custar a existência de um projeto ou até de uma empresa!

Quando envolve nosso corpo, temos uma dificuldade em especial para sermos realistas. Tenho observado que a grande maioria das mulheres (eu inclusive) têm (em diferentes graus) uma tendência a distorcer a imagem corporal.

imageO caso mais divulgado na mídia são de meninas na fase da adolescência que se consideram sempre acima do peso, por mais que estejam em pele osso (anorexia)! Uma modalidade menos conhecida desse problema é a vigorexia, em que a pessoa se considera fraca e sem músculos, mesmo quando já está apta a disputar o campeonato paulista de body building.

A forma tradicional de enfrentar essa questão é a terapia. Embora esse tratamento seja super indicado para os casos mais graves, o divã geralmente não é uma opção para a grande maioria das pessoas que tem essa doença em menores graus.

Essa questão da distorção da imagem é algo muito sério e que, muitas vezes, nos torna compulsivas. Eu, por exemplo, treino há 6 anos seguidos e sem interrupções, uma média de 4 vezes por semana.

Fitness obsessão

No começo, antes de entender como meu corpo funcionava, ficava completamente aficionada por um corpo com percentual de gordura baixíssimo! Era esse o meu objetivo, buscar algo em torno de 17% de gordura. Com o tempo, no entanto, eu percebi que por mais que eu fizesse uma dieta muito rígida e tivesse uma rotina de exercícios muito regrada, não conseguiria atingir esse resultado. Cansei de tomar suplementos como Whey e BCAA e mesmo assim não alcança o que buscava.

Toda essa busca, com o tempo, foi me deixando bem frustrada, fui a diversos médicos, fiz vários exames, porque achava que tinha algo de errado comigo: uma dificuldade tremenda em ganhar massa muscular! Até que eu concluí que essa era simplesmente a minha natureza e que não iria conseguir mudá-la, nem com muito esforço e disciplina.

Enfim, esse entendimento foi ótimo porque me fez interromper essa busca obsessiva por um corpo tipo Sabrina Sato e Gabriela Pugliese, e, mais, quando aceitei a minha genética como ela é, pude de fato valorizar o meu corpo e ser feliz com ele!!

IMG_1215

O mais importante de tudo é controlar nossa ansiedade para tomarmos medidas realistas e precisas para atingir o corpo dos sonhos.

Gata, tamo juntas!

Juju Gaspar