Por pessoas mais gentis consigo mesmas


Quando uma pessoa querida está triste, qual a sua reação? Você abraça essa pessoa? Tenta pensar em qualquer coisa que possa cessar a sua dor? Às vezes, até deseja absorver toda aquela dor para si mesmo, evitando o sofrimento da pessoa amada? Se você presenciasse a cena de uma pessoa querida buscando consolo em um amigo, e esse amigo respondesse com uma postura cruel, o que pensaria de tudo isso? Pois é, temos a tendência de nos comover com o sofrimento alheio.

A

Agora quando a pessoa que está precisando de ajuda é você mesma. Como você reage? Abraça? Beija? Consola? Ou descarrega um mar de auto criticas, tornando aquele ser já enfraquecido em alguém com raiva da sua própria fragilidade?

Sendo muito honesta, percebi, há muito pouco tempo, que eu funcionava exatamente dessa forma. Tenho uma grande capacidade de me comover com a dor alheia, às vezes, até me emocionando quando sou envolvida com o problema de uma outra pessoa. No entanto, quando sou eu que preciso de acolhimento, a minha primeira reação é rejeitar as minhas lágrimas, como sequer tivesse o direito de expressar e sentir a minha dor. A reação seguinte é focar apenas em todos os meus pontos fracos, maximizando-os, e, por fim, azeitar com um pouco mais de cobrança! Claramente, essa é a receita perfeita para baixa auto estima.

go-hug-yourself

A questão que se coloca é: por que somos tão incoerentes? Por que usamos réguas tão diferentes com nós mesmos? Por que temos tanta dificuldade em nos acolher? Eu não disse acomodar! E como é grande a diferença entre esses dois verbos! Por alguma razão, que sequer ouso explicar, entendemos que o comportamento correto a ter com o próximo é o acolhimento, porém, quando se trata de nós mesmos, essa lógica se esvazia, e passamos a adotar a premissa de que o que merecemos é um pouco mais de pancada!

Que tal passar a cuidar com mais carinho e gentileza de você mesmo? Que tal ao invés de rejeitar a sua dor e chamar-se de fraco, tentar entender a razão daquele sentimento? Que tal permitir-se chorar até quando sentir vontade? Que tal ser menos carrasco com você mesmo? Se o segundo grande mandamento de Deus é “amar ao próximo como a ti mesmo”, não restam dúvidas de que para cumpri-lo, antes mesmo de amar ao próximo, é necessário amar-se.