Vaidade: O que Você realmente ganha com ela?

Vaidade! Você já provou dessa fruta? Como é o gostinho? Em pequenas doses, ela não parece agradável e até saudável? Eu confesso para Vocês que, algumas vezes, já me lambuzei com ela e, as minhas experiências, no final das contas, não foram as melhores.

Como a vaidade aparece? Pelo menos para mim foi assim…

O primeiro degrau da vaidade é aquele sentimento saudável de cuidar de seu corpo e de sua autoestima. Ela quer parecer extremamente inofensiva, quase como uma autodefesa para nós suportarmos um mundo competitivo e cruel – pelo menos é assim que a gente se justifica, não é?

Mas ela não para por aí. Um degrauzinho acima começamos a nos sentir especiais, únicos, por ter a característica X, Y ou Z. Afinal de contas, não é nossa culpa se “somos muito fodas”! Desculpe, as outras pessoas que se esforcem mais se elas quiserem saber o que é isso.

Só no último degrau, ela começa a mostrar as garrinhas, e começamos a nos sentir superior aos outros! Dependendo do quanto comemos da fruta, é possível nesse estágio que não percebemos como as outras pessoas já estão de “saco cheio” da gente. Aí, para “matar com “chave de ouro”, a gente arremata: “é inveja!” (quem nunca?).

Não suporto gente que se aha

E daí? Qual o problema da vaidade?

O meu ponto aqui não é o politicamente correto, ou, o moralmente aceito. Mas algo que percebi recentemente, não é estratégico ser vaidosa! Na maioria das vezes, ela pode até mesmo atuar contra você. E o pior: O que ganhamos com isso?

Nos tornamos alvos fáceis para manipulação.

Essa talvez seja uma consequência menos óbvia do comportamento vaidoso. Eu demorei muito tempo para percebê-la.

Ela acontece mais ou menos assim, enquanto Você está se sentindo “a rainha da cocada preta”, algumas pessoas mais espertas percebem sua fragilidade, e então começam a alimentar a sua vaidade dizendo exatamente o que Você quer ouvir, mas, como recompensa elas vão cobrar alguma coisa, talvez um favor, sua simpatia ou a conclusão de um negócio.

rainha da cocada preta.gif

Temos nossa capacidade de avaliação de cenário prejudicada.

A vaidade nos cega de tal maneira, que muitas vezes simplesmente não conseguimos fazer uma avaliação de cenário realista. Enquanto estamos em nossa torre de marfim, nos sentindo “as últimas bolachas do pacote”, perdemos as informações importantes e acabamos virando uma presa fácil de nossa própria vaidade.

última bolacha do pacote

Vou dar um exemplo bem simples que ouvi de um amigo. Ele era um jogador de tênis bastante experiente, porém estava perdendo algumas jogadas simples. Ele começou a se perguntar o que estava acontecendo? Depois de muito tempo ele foi perceber, que não queria apenas acertar a bolinha, mas “dar um show” em cada batida. A vaidade dele não permitiu perceber que a opção mais simples era a mais eficiente.

 Enfim, controlar a vaidade é só uma questão de estratégia?

Das experiências que eu tive até agora, não tive outras evidências senão que a vaidade mais atrapalha do que ajuda. Mas minha crença na humildade não é puramente o melhor meio para atingir determinado fim.

Esse é um lado muito pessoal e particular, mas acredito que espiritualmente há indícios suficientes para mostrar que esse é o caminho que devemos viver as nossas vidas.

E, aí Vocês compartilham os mesmos sentimentos que eu sobre a vaidade?

Beijos

logo juju gaspar